Pequeno guia não definitivo para identificação dos “boldos” cultivados no Brasil

Posted on Posted in Agricultura, Curiosidades, Plantas medicinais

Quantos “boldos” você conhece? Existe “boldo-do-chile” em cultivo no Brasil? Neste artigo vamos responder estas e outras perguntas, com o intuito de esclarecer a confusão formada ao redor destas plantas e seus nomes populares.
Para dar base a toda esta conversa, temos que ter em mente que toda planta tem um nome científico, composto pelo nome do gênero e o epíteto específico da espécie. Por exemplo:

Plectranthus amboinicus
Gênero: Plectranthus
Epíteto: amboinicus

O uso do nome científico nos ajuda a garantir que estamos falando da mesma planta, seja no Brasil ou na China. Não há regras quanto ao uso de nomes populares, eles podem ser usados para plantas que não possuem parentesco próximo e variam de acordo com a região. Assim, uma mesma espécie pode ter vários nomes populares e espécies diferentes podem ser conhecidas pelo mesmo nome. Quanto maior a utilidade de uma planta, maior será a quantidade de nomes populares que ela vai receber. Isso causa uma grande confusão, especialmente se uma planta tem uso medicinal ou é comestível. É curioso também, o hábito de se nomear uma planta com propriedades medicinais com o nome do remédio vendido em farmácias, tais como novalgina, insulina vegetal, anador, gelol, entre outros.
No Brasil, plantas de três famílias botânicas distintas são conhecidas popularmente como boldo: Monimiaceae, Lamiaceae e Asteraceae. O nome popular “boldo” foi emprestado do boldo-do-chile – Peumus boldus, planta pertencente à família Monimiaceae, nativa do Chile. Seu nome vem da “chilenização” de “Folo”, nome Mapuche da espécie (1).

Agora vamos ao seguinte cenário: existe uma planta de uso tradicional e chega outra com praticamente a mesma utilidade. Não é difícil imaginar esta situação:

Pedro em conversa com o Paulo: A dona Cida me deu essa planta e disse que tem o mesmo uso do boldo-do-chile.
Paulo em conversa com a Cecília: Paulo me disse que isso aqui é boldo-do-chile
Cecília em conversa com Sheila: ganhei um pé de boldo-do-chile.
E assim um nome segue com vida própria, vide as arnicas do cerrado e a Arnica montana (originária da América do Norte).

Abaixo, listamos e detalhamos algumas espécies que são confundidas entre si, ou tratadas popularmente como boldo no território brasileiro:

Gymnanthemum amygdalinum (Delile) Sch. Bip. ex Walp.
Sinonimia: Vernonia condensata Baker
Nomes populares: boldo, alumã, aloma, aluman, luman, alcachofra, aloma, luman, figatil, boldo-de-goiás, heparém, boldo-chinês, boldo-goiano, boldo-japonês, boldo-baiano, árvore-do-pinguço, cidreira-da-mata (2). Gymnanthemum amygdalinum – Foto de Zizo Guimarães

Foto Zizo Guimarães

Arbusto ou árvore com até 4 m de altura. Folhas com 5 a 25 cm de comprimento, por 4 a 8 cm de largura. Flores branco-amareladas reunidas em capítulos terminais. Suas flores são melíferas e muito visitadas por abelhas.
Origem: África Tropical. Naturalizada em vários estados brasileiros.
Família: Asteraceae.

 

Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng.
Nomes populares: malvarisco, malvariço, malvaisco, hortelã-grande, hortelã-da-folha-grossa, hortelã-de-folha-graúda, hortelã-da-bahia, malva-do-reino, malva-de-cheiro, hortelã-pimenta (2).

Erva com 0,4 a 1,5 m de altura. Folhas muito aromáticas, tomentosas, carnosas, com a borda serreada, medindo de 5 a 10 cm de comprimento, por 5 a 7 cm de largura. Suas flores são liláses, dipostas em inflorescências terminais.
Origem: Quênia até África do Sul, península Árabe e Índica.
Família: Lamiaceae.

Plectranthus barbatus Andrews
Nomes populares: boldo, boldo-brasileiro, boldo-do-reino, alumã, boldo-nacional, malva-santa, malva-amarga, sete-dores, boldo-de-jardim, boldo-do-brasil, falso-boldo, folha-de-oxalá (2).

Planta herbácea ou arbustiva com até 4 m de altura. Folhas aromáticas, muito pilosas, com borda serreada, medindo de 4 a 9 cm de comprimento, por 2,5 a 5 cm de largura. Flores roxo-azuladas, dispostas em inflorescências terminais.
Origem: Eritreia até Tanzânia, península Árabe, subcontinente indiano e China
Família: Lamiaceae.

Plectranthus ornatus Codd
Nomes populares: boldo-miúdo, boldo-chinês, boldinho, boldo-rasteiro (3).


Erva com até 30 cm de altura, formando agrupamentos adensados. Folhas muito aromáticas, tomentosas, suculentas, com 2,5 a 5 cm de comprimento, por 2,5 a 4 cm de largura. Flores roxo-azuladas, dispostas em inflorescências terminais.
Origem: África, Etiópia até Tanzânia.
Família: Lamiaceae.

Peumus boldus Molina
Nome popular: boldo-do-chile.

Foto Penarc – Own work, GFDL, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=6749488

Árvore com até 20 m de altura. Folhas tomentosas, aromáticas, medindo de 3,5 até 4,5 cm de comprimento, por 1,5 a 4 cm de largura. Flores brancas, em inflorescências terminais.
Origem: Endêmico do Chile, entre as províncias de Elqui e Osorno. Não é cultivada fora do Chile, porém suas folhas secas são facilmente encontradas à venda no Brasil.

Referências:
(1) ACodd, L.E. 1975. Plectranthus (Labiatae) and allied genera in Southern Africa. Bothalia 11: 371-442.
(2) Lorenzi, H. & Matos, F.J.A. 2002. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa: Plantarum, 512 p.
( 3) Mauro, C. et al. 2008. Estudo anatômico comparado de órgãos vegetativos de boldo miúdo, Plectranthus ornatus Codd, e malvariço, Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng. – Lamiaceae. Rev. bras. farmacogn. 18(4): 608-613. Disponível em <https://goo.gl/RiTOF4>. access on 18 Mar.2016.
(4) Mosbach, E.W. 1992. Botanica indigena de Chile. Santiago de Chile: Andres Bello, 140p. Disponível em https://goo.gl/sqi1DY

2 thoughts on “Pequeno guia não definitivo para identificação dos “boldos” cultivados no Brasil

  1. Tenho os três pés destas plantas em casa ..e são ótimas. .conheço como bolso do normal ..bolso do Chile e bolso no norte ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *