A cama mais antiga da história da humanidade

Atualizado: 16 de ago. de 2021


A cama mais antiga da história da humanidade, datada de 200 mil anos atrás foi descoberta por um time internacional de arqueólogos liderado pela Universidade de Witwatersrand (Joanesburgo) e era feita de grama, cinzas e plantas aromáticas.

A descoberta foi realizada na caverna Border Cave, na região de KwaZulu-Natal (África do Sul), local que abriga registros arqueológicos muito bem preservados, sendo uma grande fonte de conhecimento sobre o ser humano da Idade da Pedra.


Border Cave, na África do Sul

Feixes de grama da subfamília Panicoideae foram identificados através de técnicas microscópicas e espectroscópicas. Segundo os pesquisadores, as largas folhas da gramínea eram assentadas sobre camadas de cinza.

Vestígios carbonizados do arbusto-da-cânfora (Tarchonanthus trilobus) também foram encontrados através de análises químicas, biológicas e microscópicas. Ela é uma planta aromática até hoje utilizada para repelir insetos em áreas rurais do leste da África, muito semelhante à espécie do mesmo gênero Tarchonanthus camphoratus.