A inflorescência da alface


A inflorescência da alface.

A alface (Lactuca sativa) é uma hortaliça que pertence à família Asteraceae (que inclui também a chicória, escarola, almeirão e alcachofra).


Sua origem é da região que abrange desde o Mediterrâneo até a Sibéria. Seu processo de domesticação teve início no antigo Egito. No Brasil é uma espécie naturalizada, que foi trazida pelos portugueses no século XVI.


É uma planta herbácea, seu tamanho varia entre 15 e 30 centímetros. Seu caule é curto, com as folhas arranjadas em forma de roseta. Suas folhas, que são as partes que consumimos, diferem em cor, textura e sabor, conforme a variedade: americana, crespa, romana, roxa, lisa, frisada e mimosa, por exemplo. 

O que raramente vemos é sua inflorescência tipo capítulo, porque quando a planta floresce, adquire sabor amargo e se torna inadequada para o consumo, portanto invendável. 


Por este motivo, as alfaces cultivadas são colhidas antes que atinjam a fase de maturação, período que pode levar entre 65 e 130 dias: em temperaturas mais elevadas, a planta floresce mais rapidamente. A cultivar de alface crespa conhecida por Leila apresenta tolerância ao florescimento precoce.


Sua haste floral mede até 1 metro de comprimento e contém pequenas flores amarelas, com as pétalas fundidas em lígula.


Quando a alface floresce, se torna inadequada para consumo.