Capim-limão: uma planta de muitos nomes

Atualizado: 24 de ago. de 2021



Muitos são os seus nomes populares: capim-limão, capim-santo, capim-cidreira, erva-príncipe, belgate, chá-de-estrada, chá-príncipe, chá-do-gabão, capim-cidrão, capim-cidrilho, capim-cidró, capim-cheiroso, capim-marinho, capim-membeca, palha-de-camelo e erva-cidreira (este último, também aplicado para designar a planta Melissa officinalis) mas cientificamente seu único nome é Cymbopogon citratus. A palavra em latim citratus é referente ao aroma da planta que lembra Citrus.


O capim-limão é uma planta aromática, perene e de porte herbáceo, nativa das regiões tropicais da Ásia (principalmente sul da Índia e Sri Lanka), e que pertence à família Poaceae (que abrange os capins, gramas e relvas). A planta é muito cultivada em quase todos os países tropicais, inclusive no Brasil (onde é naturalizada), seja para fins industriais ou em hortas caseiras para uso medicinal.


Pode crescer entre 1,2 e 1,5 metros de altura, devendo ser cultivado a sol pleno. Suas folhas são longas e de coloração verde clara e apresentam margens cortantes. As inflorescências são constituídas por panículas de coloração amarelada. Adapta-se facilmente a diversas condições climáticas e de solo e pode ser plantado em vasos, jardineiras ou canteiros.


Historicamente é uma planta muito associada ao comércio indiano, por suas propriedades terapêuticas e como objeto de lembrança deixado a parentes pelos peregrinos. Comerciantes hindus tinham por hábito aromatizar seus tecidos com o capim-limão, como comprovação de origem, para distingui-los dos tecidos de outras regiões.


Na medicina tradicional Ayurveda é utilizado para reduzir febre, amenizar tosse e tratar doenças infecciosas. A pasta feita com as folhas é aplicada em micoses, devido suas propriedades fungicidas. Na medicina tradicional chinesa é empregado no tratamento da dor-de-cabeça, dor de estômago, dores abdominais e reumáticas.


O capim-limão também é muito conhecido na medicina popular, utilizado na forma de infusão das folhas, que apresentam forte aroma de limão quando amassadas, e possuem diversas propriedades terapêuticas, nas quais se destacam ações febrífugas, sudoríficas, analgésicas, calmantes, antimicrobianas, diuréticas e adstringentes.