top of page

Blog

Mais de 300 matérias para você descobrir a Botânica

Veja nossa seleção especial de livros sobre plantas e natureza

A floração dos ipês-amarelos



Existe uma grande diversidade de árvores popularmente conhecidas no Brasil por ipê-amarelo, pertencentes aos gêneros Handroanthus, Tabebuia e Tecoma. Os ipês são plantas da família Bignoniaceae.


É importante ressaltar que nem todas as espécies de ipê tiveram alteração em sua nomenclatura botânica e que a classificação deste grupo de plantas é extremamente complexa, pela presença de grande variabilidade morfológica.


Com o final do inverno e aproximação da primavera, várias espécies de ipês-amarelos iniciam sua floração, entre elas Handroanthus chrysotrichus, cultivada nas ruas e praças e popularmente também chamada de ipê-tabaco, ipê-amarelo-paulista e pau-d'arco-amarelo. Ocorre nas Florestas Ombrófila Densa e Estacional Semidecidual da Mata Atlântica, principalmente no sul, sudeste e nordeste do Brasil.  As flores apresentam perfume adocicado e são consideradas PANC, consumidas cruas ou cozidas, em diversos preparados culinários, como saladas, refogados, empanadas e farofas.


O ipê-amarelo-da-serra (Handroanthus albus) é uma espécie que só ocorre acima de 1000 metros de altitude, sendo mais comum nas regiões Sudeste e Sul do Brasil. Pode atingir até 30 metros de altura e 60 centímetros de tronco. Floresce entre os meses de julho e setembro e suas folhas jovens apresentam um brilho prateado, que é muito apreciado no paisagismo, assim como sua floração.


Ainda no gênero Handroanthus temos as espécies Handroanthus serratifolius (popularmente chamada de ipê-amarelo-flor-de-algodão), nativa da América do Sul tropical e de Trinidade e Tobago, de crescimento lento e típica do interior da Mata Atlântica e a espécie Handroanthus ochraceus, comum na região centro-oeste, sudeste e sul do Brasil. Pode medir entre 6 e 14 metros de altura e sua floração abundante e muito apreciada no paisagismo, acontece entre o final de julho e setembro.


A espécie Tabebuia aurea (ipê-do-cerrado) também se destaca nos domínios da Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal. Pode medir entre 12 e 20 metros de altura e seu tronco pode alcançar de 30 a 40 centímetros de diâmetro. Sua floração é entre os meses de agosto e setembro, sendo uma espécie comum na arborização de ruas e avenidas e também no paisagismo.


O ipezinho-de-jardim (Tecoma stans) é uma espécie nativa das Américas Tropical e subtropical, perenifolia (não perde as folhas) de até 6 metros de altura, que floresce principalmente nos meses mais quentes. Também é conhecido popularmente como bignonia-amarela, sinos-amarelos, guarã-guarã e carobinha.


O ipezinho-de-jardim é uma espécie perenifolia.

Na região norte da América do Sul, o gênero Roseodendron abrange ainda duas espécies com flores amarelas mas que não ocorrem no território brasileiro.

As florações dos ipês são ricas em néctar e atraem diversas espécies de aves como beija-flores, cambacicas, sabiás, sanhaçus e sairas. Os frutos (vagens) fornecem alimento para periquitos e tuins.


Detalhe do tronco do ipê-amarelo.

A madeira de diversas espécies de ipês é usada para fabricação de tacos, assoalhos, dormentes, postes, peças artesanais e instrumentos musicais.


O nome ipê é de origem tupi e significa "árvore cascuda".



Por: Patrícia Dijigow




2.613 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


Les commentaires ont été désactivés.
bottom of page