O florilégio de Basilius Besler



As antologias, compêndios e seleções de trechos de outras obras literárias sobre flores eram conhecidas pelo nome de florilégio - uma palavra derivada do latim, formada pelos termos "flos" (flor) e legere (reunir, escolher).


O termo era aplicado aos tratados sobre flores ou livros (principalmente os medievais) dedicados às plantas medicinais, culinárias, ornamentais, ou com alguma outra aplicação conhecida. 


O médico e botânico alemão Basilius Besler (1561 - 1629) e suas ilustrações.



Durante a Idade Média, os florilégios reuniam trechos escritos por filósofos, médicos, naturalistas e outros estudiosos das Ciências Naturais, com o intuito de ilustrar algum tópico, tema ou doutrina, compondo coleções sistêmicas. Após a Idade Média, o termo passou a ser utilizado com significado mais amplo, relacionado ao caráter científico em geral.


Quando as ilustrações de plantas tiveram seu florescimento artístico, entre os séculos XV e XVI e principalmente com novas técnicas para impressão de gravuras, diversos artistas foram encarregados de retratar a beleza das coleções de jardins botânicos ou particulares, que cresciam com a chegada de novas espécies trazidas de diversas partes do mundo. Esses trabalhos eram posteriormente reunidos em florilégios.