Livro: História das agriculturas no mundo



Através de um recorte histórico que abrange 10.000 anos, desde a pré-história até a agricultura industrializada, o livro História das agriculturas no mundo: Do neolítico à crise contemporânea aborda as grandes transformações dos sistemas agroalimentares e os consequentes reflexos nas próprias civilizações.


De autoria dos franceses Marcel Mazoyer (professor emérito de agricultura comparada e de desenvolvimento agrícola no Instituto Nacional Agronômico Paris-Grignon) e Laurence Roudart (mestre de conferências de economia política agrícola e alimentar no Instituto Nacional Agronômico Paris-Grignon), o livro foi traduzido e publicado pela Editora da UNESP e Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural do Ministério do Desenvolvimento Agrário (NEAD-MDA), em 2010.


Após muitas décadas de estudo e pesquisa de agricultura comparada, os autores unindo trabalhos e observações realizadas por historiadores, geógrafos, antropólogos, sociólogos, economistas e agrônomos, apontam para a discussão de soluções para combater a fome no mundo, percorrendo temas como a herança agrária da humanidade, a teoria das transformações históricas e da diferenciação geográfica dos sistemas agrários, a crise agrária, a crise geral do setor e traçando paralelos entre evolução, agricultura e história.


A publicação traz gráficos que ilustram a expansão dos hominídeos, as evoluções e especializações de utensílios, as adaptações às condições ecológicas, as primeiras domesticações de plantas, centros de origem e áreas de extensão da revolução agrícola neolítica e técnicas que passaram a ser empregadas por diferentes civilizações com o decorrer do tempo, que são utilizadas nos capítulos seguintes para o embasamento das análises e proposta de uma estratégia mundial para desenvolver a agricultura camponesa (através da adoção de políticas nacionais de proteção) e impulsionar a economia.


Segundo os autores, a recente crise da economia mundial está enraizada na instauração da concorrência, que não leva em conta as heranças agrárias das diferentes regiões do mundo. Ao considerarem o cenário em um futuro próximo, com as projeções de aumento populacional, mudanças climáticas e competição por recursos naturais, expõem suas preocupações em relação