Plantas da Mata Atlântica: Floresta Estacional

Atualizado: 17 de jun. de 2020



A Mata Atlântica se estende à partir do litoral brasileiro, apresentando diferentes gradientes de temperatura e altitude, de grande riqueza de espécies que formam um mosaico com diferentes tipos de vegetação que se inicia na praia e adentra pelo continente.

No interior da mata, em terrenos planos e geralmente em solos férteis, existe a chamada Floresta Estacional, que foi intensamente devastada no último século. Essa floresta é caracterizada por uma maior diferença na quantidade de chuva ao longo das estações do ano: em resposta ao período seco ou mais frio, a maioria das árvores perde as suas folhas, voltando a recuperá-las no início das chuvas. Isso permite maior entrada de luz no interior da floresta, que gera um clima mais seco e caracteriza uma diferente composição de flora e fauna.

Algumas espécies decíduas da Floresta Estacional são árvores de grande porte e bem populares como angicos, jequitibás, perobas, paineiras e jacarandás.

A Floresta Estacional foi escolhida como tema para o livro, aliado a criação do Jardim Botânico de Piracicaba, cuja missão está relacionada à conservação das espécies desta vegetação, para conciliar pesquisas científicas relacionadas ao levantamento das espécies com a produção de material que auxiliará na definição das plantas que enriquecerão o jardim.

A publicação traz mais de 1.000 fotografias de plantas, além de conteúdo que auxilia no reconhecimento das espécies e na caracterização das florestas estacionais do Brasil.

Seu grupo de autores inclui biólogos, botânicos e engenheiros agrônomos, liderados por Vinicius Castro Souza, pr