top of page

Blog

Mais de 300 matérias para você descobrir a Botânica

Veja nossa seleção especial de livros sobre plantas e natureza

Charles de L'Écluse – Carolus Clusius (1525 – 1609)

Atualizado: 24 de ago. de 2021


Muitas décadas antes da ilustração botânica viver sua "era de ouro" no século XVII, um médico e botânico se destacou pelo primor de suas descrições e ilustrações: Charles de L'Écluse (1525 - 1609).



Também conhecido por Carolus Clusius, nasceu em Arras (França), estudou Direito e Medicina, mas foi através de seus estudos botânicos que se tornou um dos mais famosos pesquisadores do século XVI.


Considerado um dos fundadores da horticultura por introduzir a batata na Itália e a tulipa na Holanda, Clusius criou um dos primeiros Jardins Botânicos da Europa - em Leiden (Países Baixos) - e foi um dos primeiros a realizar descrições realmente científicas de plantas. Também foi o primeiro pesquisador a descrever espécies como o jasmim, a castanheira e as arálias.


Em 1573 foi nomeado médico da corte e responsável do Jardim Imperial de Maximiliano II (Viena - Sacro Império Romano-Germânico) e pelos anos seguintes, viajou por toda a Europa, realizando numerosas observações e colecionando espécies de várias plantas, algumas de origens distantes, como a tulipa e a batata.



Publicou várias obras como: "Alíquota de Rariorum Stirpium por Pannoniam" e "Austriam Observatarum Historia" (1583) e "Alarota de Rariorum stirpium por Hispanias" (1576) - onde descreve as floras da Áustria e Espanha. Foi premiado com a cadeira de Botânica na Universidade de Leiden em 1593, que ocupou até sua morte.


Em 1587, fundou um Jardim Botânico ("Hortus Botanicus"), distinto do Jardim Medicinal ("Hortus Medicus") na Universidade de Leiden, onde cultivou plantas raras originárias do sul da Europa, da Espanha, Portugal e Hungria.


A publicação "Rariorum Plantarum Historia" (1601) compilou as obras acima citadas, incluindo ainda o "Fungorum": o primeiro tratado publicado sobre cogumelos (antigamente estudados pela Ciência Botânica), com quase 1.200 xilogravuras de espécies da Espanha, Áustria e Hungria.


No final de sua vida, Clusius descreveu novas espécies exóticas de animais: como o casuar, o pinguim-de-Magalhães, papagaios e o íbis-escarlate, entre outras.

Homenageado pelo botânico Charles Plumier (1646-1704), que lhe dedicou o gênero Clusia (família Clusiaceae), posteriormente mantido por Carl Linnaeus (Lineu - pai da taxonomia moderna).

Clusia weddelliana
Clusia weddelliana

A contribuição de Clusius no estudo das plantas foi um passo muito importante para o desenvolvimento da Ciência Botânica moderna, que lhe rendeu muitas outras homenagens como nas espécies vegetais Ganteiana clusii, Potentilla clusiana e Primula clusiana.


Por: Patrícia Dijigow


316 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


Los comentarios se han desactivado.
bottom of page