top of page

Blog

Mais de 300 matérias para você descobrir a Botânica

Veja nossa seleção especial de livros sobre plantas e natureza

As litografias de Walter Hood Fitch (1817 - 1892)


Walter Hood Fitch (1817 - 1892) foi um ilustrador botânico, nascido em Glasgow (Escócia), que produziu cerca de 10.000 litografias para diversas publicações, considerado um dos mais produtivos e talentosos da era vitoriana.


Walter Hood Fitch (1817 - 1892)

Seu trabalho em litografia colorida inclui 2700 ilustrações para a Curtis's Botanical Magazine (iniciada em 1787 e até hoje publicada como "The Kew Magazine"). A litografia (ou litogravura) é um processo de impressão realizado sobre uma matriz de pedra ou prancha de metal, baseado nos princípios de repulsão entre água e óleo.


Envolvido nos processos de impressão de tecidos desde os 17 anos de idade, quando foi aprendiz em uma empresa de designers de calico (tecido de algodão que era importado pela Inglaterra através da Companhia das Índias Orientais) e se familiarizou com a gravura, Fitch adotou a arte botânica depois de conhecer William Jackson Hooker, botânico, ilustrador e editor da Curtis's Botanical Magazine, que estava a procura de um artista com habilidades especiais para produzir litografias para a revista.



Fitch passou a gravar e litografar suas próprias impressões botânicas e sua primeira litografia de Mimulus roseus, foi publicada na Botanical Magazine em 1834 (imagem acima).


Os talentos artísticos de Fitch o levaram a se tornar o principal artista da Curtis ’Botanical Magazine por mais de quarenta anos, trabalhando simultaneamente para diferentes publicações.


Em 1841, Hooker se tornou diretor do Jardim Botânico Real de Kew e ambos se mudaram para Londres. A partir desse momento, Fitch foi o único artista de todas as publicações oficiais e não oficiais publicadas em Kew, pago por Hooker pessoalmente.



Suas gravuras botânicas se destacavam pela precisão e detalhamento de estruturas, sendo de grande valor científico - as ilustrações botânicas até hoje são importantes aliadas de cientistas ao auxiliar na identificação das espécies de plantas.


As cromolitografias que produzia eram baseadas em ilustrações botânicas fornecidas por Hooker e outros pesquisadores e lhe renderam alguns de seus resultados mais espetaculares.


Entre os trabalhos mais importantes de Fitch estão as ilustrações para A century of orchidaceous plants (1849) e A Monograph of Odontoglossum (1864-1874), de James Bateman.


Também criou cerca de 500 pranchas para Icones Plantarum (1836–76) e quatro pranchas litográficas para a monografia Victoria Regia de Hooker, que retrata uma série de exemplos da vitória-régia (cientificamente conhecida como Victoria amazonica), com imagens baseadas nas plantas cultivadas em Kew.


Outros trabalhos foram para o Handbook of the British Flora de George Bentham (1858, Rhododendrons of Sikkim Himalaya (1849 a 1851), Illustrations of Himalayan Plants (1855) e ilustrações para os três volumes de The Botany of the Antarctic Voyage que cobrem a flora da Antártica, Nova Zelândia e Tasmânia, cujo material fora coletado entre 1839 e 1843.



Além das gravuras botânicas, Fitch produziu muitas ilustrações e aquarelas de paisagens, como as do Rio Tâmisa, que retratam como era o oeste de Londres na época.


Permaneceu ativo como artista botânico até 1888 e sua fama e importância como ilustrador botânico é mundialmente reconhecida.



Em 1857, Fitch foi nomeado membro da Linnean Society (sociedade científica dedicada ao estudo e a divulgação da história natural, evolução e taxonomia, fundada em 1788).


O gênero Fitchia foi nomeado em sua homenagem. Na foto abaixo, a espécie Fitchia speciosa.


Fitchia é um gênero de plantas da família Asteraceae. Foto: domínio público (CC0)

Por: Patrícia Dijigow





Leituras relacionadas:




315 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


Los comentarios se han desactivado.
bottom of page