A metamorfose das plantas

Atualizado: Jun 17



Johann Wolfgang von Goethe (1749 - 1832) é considerado um dos mais importantes e influente escritor alemão, conhecido mundialmente pelas obras Os Sofrimentos do Jovem Werther e Fausto. Foi um dos líderes do movimento literário alemão Sturm und Drang (tempestade e ímpeto), que valorizava o efeito da emoção sobre a razão. Além dos famosos romances, poemas e peças de teatro, Goethe era formado em Direito e demonstrava grande interesse pela pintura, desenho e as ciências naturais. Escreveu importantes tratados em suas incursões pelo campo da Ciência Natural, abrangendo anatomia humana e animal, ótica, geologia, mineralogia, química, botânica, morfologia e meteorologia. Em oposição à Isaac Newton, defendeu sua própria explicação para a teoria das cores e pesquisou a origem das formas de vida, abrindo caminho para o Darwinismo e Evolucionismo (teoria da evolução das espécies). Seu grande interesse por Botânica rendeu pesquisas sobre as diversas partes que compõem uma planta. Goethe ao observar e estudar sementes das dicotiledôneas e as folhas embrionárias que emergem na fase de germinação, criou teorias para explicar, por exemplo, porque as folhas seguintes da jovem planta são diferentes das folhas iniciais. Em 1790, a publicação de seu livro A metamorfose das plantas inaugurou uma nova metodologia científica, que sugeria que todas as estruturas botânicas, da raiz aos frutos, são metamorfoses de um único órgão basal. Contradizendo as teorias da época, Goethe sugeriu que todos os vegetais compartilhariam uma estrutura primordial e a metamorfose desse protótipo vegetal dava origem aos diferentes órgãos da planta, em diferentes condições de desenvolvimento. Mesmo revolucionando o pensamento científico de sua época, a visão de Goethe se manteve único ao aliar pesquisa à sua elegante e célebre escrita, repleta de conceitos da metafísica e sua crença na harmonia inseparável entre homem e Natureza e no paralelismo da natureza com a arte. Goethe era intrigado com os processos de transformação que aconteciam na planta desde o momento da germinação, e através de seus estudos buscou compreender as mudanças durante o crescimento que levam uma pétala a ser diferente de uma raiz ou de uma folha. Metamorfose é uma palavra de origem grega (metamórṗhosis = transformação): meta (mudar) + morfo (forma). A metamorfose das plantas é um livro que pode despertar o seu olhar científico, para questionar acontecimentos e buscar explicações, mesmo que você não tenha aparatos de laboratório. É uma obra que, através da abordagem poética de Goethe, te convida a mudar a forma de enxergar a Natureza, através do exercício diário de contemplação de seus fenômenos naturais e do respeito por sua incompreendida grandiosidade. Publicado pela Edipro, está disponível nas livrarias e no site da própria editora: www.edipro.com.br/produto/a-metamorfose-das-plantas


Por: Patrícia Dijigov

#livro #Goethe #ametamorfosedasplantas

0 visualização
Escola_de_Botanica_logo_branco.png

E-mail de contato

contato@escoladebotanica.com.br

Redes sociais

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube

Atendimento

A Escola de Botânica está fechada durante a quarentena. Estamos trabalhando em casa e para falar conosco entre em contato através do

e-mail flores@escoladebotanica.com.br

Atendimento por e-mail de segunda a sexta.

Endereço

Rua Fortunato, 125, Santa Cecília

CEP: 01224-030 • São Paulo • SP

A Escola de Botânica está temporariamente fechada devido a pandemia. Estamos trabalhando em casa. Entre em contato conosco através do e-mail ou pelas redes sociais. Atendimento de segunda a sexta.

Copyright© 2020 por Escola de Botânica • CNPJ: 26.797.455/0001-73