Fotossíntese e a relação das plantas com a luz



A fotossíntese é o principal processo de transformação de energia na biosfera. A luz solar é o fator mais importante da fotossíntese, processo físico-químico pelo qual as plantas e outros seres vivos clorofilados geram seu alimento (glicose) e liberam oxigênio, utilizando água e dióxido de carbono (CO2).

Dentre fatores que afetam a fotossíntese, estão a concentração de dióxido de carbono, a temperatura, a água e a morfologia foliar.

Para a maioria das plantas, a temperatura ótima para os processos fotossintéticos está entre 30 e 38 °C . Acima dos 45°C a velocidade da reação decresce, pois cessa a atividade enzimática.

A água é fundamental como fonte de hidrogênio para a produção da matéria orgânica. Em regiões secas as plantas têm a água como um grande fator limitante.


As células vegetais (e seus cloroplastos) vistas através de microscópio.

A fotossíntese é realizada no interior de organelas chamadas cloroplastos, que contém pigmentos (em especial a clorofila) que canalizam a luz solar e realizam as reações químicas que transformam moléculas inorgânicas (água e o gás carbônico) em moléculas orgânicas (no caso, glicose).

O processo ocorre a partir de reações internas na planta, envolvendo substâncias inorgânicas e a luz do Sol. A substância responsável por esse fenômeno é a clorofila, ela também é responsável pelo pigmento verde das folhas, pois é onde se mostra mais presente nos vegetais. Não é uma regra, pois algumas plantas realizam este processo pelo caule e outras não fazem fotossíntese, parasitando outras plantas para sobreviver.

Quando nos alimentamos, parte das substâncias orgânicas, produzidas graças à fotossíntese, entram na nossa constituição celular, enquanto outras (os nutrientes energéticos) fornecem a energia necessária às nossas funções vitais, como o crescimento e a reprodução. Além do mais, ela fornece oxigênio para a respiração dos organismos heterotróficos, sendo essencial para a manutenção da vida na Terra.